Populares Mês

A renovação de Sérgio Conceição e uma breve passagem pelos 14 anos de Gelsenkirchen


Embora no futebol já nada me surpreenda e o que é verdade hoje, muitas vezes é mentira amanhã, a renovação de contrato de Sérgio Conceição por mais uma ano, até 2020, é a certeza da continuidade do treinador na cadeira de sonho e é uma óptima notícia. É também um sinal que a competência, profissionalismo, rigor, exigência, atitude, ambição, paixão e grande vontade de vencer, vão ser a marca do F.C.Porto em 2018/2019. Para além disso, saber que os processos, modelos e métodos vão ser os mesmos, logo é só ir aperfeiçoando, junto com a menor pressão sobre os jogadores derivada da conquista do título, faz com que tudo se conjugue para que o F.C.Porto da próxima época possa ser melhor do que a que terminou há pouco e que já foi muito boa.

Sobre entradas, saídas, plantel, etc., passo, mesmo que alguns zum zuns me deixem cheio de curiosidade.

Esta semana um jornal desportivo recordava o 30º aniversário de uma final europeia, Taça dos Campeões Europeus, que o Benfica perdeu nos penalties frente aos holandeses do PSV - curiosas as recordações deles... Daí para cá, o F.C.Porto já conquistou quatro troféus internacionais, uma Taça UEFA, uma Liga Europa, uma Taça de Campeão do Mundo e uma Champions League.
Assim e porque hoje em Kiev se disputa a final da prova rainha da UEFA e também passam 14 anos que o F.C.Porto derrotou o Mónaco por 3-0, no Arena Auf Schalke de Gelsenkirchen, importa lembrar e repetir que esse é o maior feito colectivo conseguido por um clube na história do desporto português. Sim, porque já na altura o modelo da Champions League não tinha nada a ver com o da Taça dos Campeões Europeus que vencemos com brilhantismo em Viena, apenas para não ir mais longe... E se agora acreditar que esse sonho pode voltar a concretizar-se quase que nos leva para o campo da utopia, para mim é claro que nessa utopia, em Portugal, só o F.C.Porto se pode permitir sonhar.
A propósito, quando o F.C.Porto em Fevereiro de 2008 defrontou o Schalke 04 - numa eliminatória da Champions dramaticamente e injustamente perdida no malfadado desempate nas grandes-penalidades. Mesmo com 10 contra 11 durante uma parte dos 90 minutos e todo o prolongamento, o conjunto de Jesualdo foi muito superior e merecia ter seguido em frente -, apesar de na altura se pensar, como agora, que ir novamente a uma final europeia era quase impossível, não faltava quem  acreditasse que não era bem assim. Eu era um deles e por isso na antevisão do jogo da 1ª mão, disputado em Gelsenchirchen, disse algo como isto:
«Gelsenkirchen terra iluminada, onde a glória ainda está bem presente na nossa memória. Não por nostalgia passadista, mas porque lá foi inscrita mais uma página dourada da nossa fantástica história.
Não há nostalgia, porque nós acreditamos que podemos de repetir e temos legitimidade para isso; e também podemos sonhar, porque os nossos sonhos são construídos com os pés bem assentes na terra, sem megalomanias ou faraónicas ambições.»
Não demorou muito a cumprir-se o sonho, passados 3 anos fomos a Dublin disputar a final da Liga Europa. E como ninguém nos rogou pragas e as finais são para ganhar, ao som do venceremos, venceremos, venceremos outra vez, o Porto vai ganhar a taça, como em 2003. E ganhou!

Estorilgate? Que falta de imaginação, ó gabinete de crise...


- Ó Vila Pouca, sei que estás a relaxar e descomprimir, gozar o título, por isso desculpa incomodar-te, mas o Benfica no twitter para os amigos veio falar no Estorilgate. E como sei que sabes umas coisas sobre o Estorilgate... pensei que podias dizer algo sobre esse caso. 

- OK. O que não faço pelos amigos...

Estorilgate:
O director-executivo da Liga que autorizou a passagem do jogo do Estoril para o estádio do Algarve foi Cunha Lealex-dirigente e responsável pelo futebol do Benfica.
Na altura o responsável pelo futebol do Estoril era António Figueiredotambém ex-dirigente e responsável pelo futebol do Benfica.
O accionista maioritário da SAD estorilista era José Veiga que em simultâneo era o homem forte do clube do regime para o futebol.
Durante a semana elementos ligados ao Benfica, com o famoso primo Fernando o tal que foi visto a agredir o empresário de Moreto no aeroporto, perante a passividade da polícia -, à cabeça, foram ao Estoril e fizeram as maiores pressões e ameaças a jogadores do Estoril, facto denunciado por elementos da equipa técnica do clube da Linha.
Um jogador do Estoril, já com cartão amarelo, fez outra falta e foi expulso, ainda não tinham passados vinte minutos do jogo
O árbitro, Élio Santos, para além de estar na pré-reforma e ser um conhecido adepto do Benficaesqueceu-se das botas e arbitrou com umas botas emprestadas pelo Benfica.
O Estoril - Benfica disputado no Algarve jogo foi muito importante, decisivo até, para a atribuição do título 

O Estorilgate foi na época 2004/2005, onde só em sumaríssimos, alguns profissionais do F.C.Porto cumpriram mais de uma dúzia de jogos. Benni McCarthy, um dos melhores avançados dos Dragões e melhor marcador da temporada anterior, só à sua conta, cumpriu 9 jogos, repito, 9 jogos. Na Comissão Disciplinar da Liga dessa altura, fazia parte o Dr. Juíz Pedro Mourão, que podemos ver em amena cavaqueira na tribuna do estádio da Luz, ao lado de Vieira e Joe Berardo.
Esse campeonato ganho pelo Benfica de Giovanni Trapattoni, uma equipa vulgaríssima, que não jogava a ponta de um corno, foi o maior escândalo do futebol português dos últimos 30 anos e no que diz respeito ao Benfica, só os recentes escândalos dos e-mails, vouchers, jogo duplo, e-toupeira podem colocar essa nojeira sem limites em plano inferior.

Nota final:
Num dia que saíram mais notícias que colocam o Benfica muito mal na fotografia e que mostram que as toupeiras espiaram e transmitiam informações sobre os árbitros, ao clube do regime - com tudo o que isso significa, pressões, ameaças, chantagens... -, o SLB só tem para se defender a mesma cassete de sempre e pasme-se, vem falar em Estorilgate? 

PS - Sobre as capas com estilo, a oferta é muita, a escolha é difícil, mas a minha preferida é a do Makukula.

Que chato, até aparecer o Bruno nunca tinha havido fenómenos de populismo no futebol português


Partindo do artigo de Miguel Sousa Tavares, gostaria de dizer mais umas coisas, muitas das quais já não são novidade para quem frequenta o Tasco. Sim, porque os gravíssimos acontecimentos de Alcochete despoletaram uma série de reacções em cadeia e transversais, tanto que até parece que vivemos num país onde não se passava nada, mas de repente, passou-se tudo, parece que até aparecer o Bruno, nunca houve fenómenos de populismo no futebol português. Só que não é assim...

Quantas vezes nós aqui reflectimos sobre alguns programas desportivos em que em nome das audiências, valia tudo, quanto pior melhor, programas esses que não servem para mais nada que incendiar e fomentar rivalidades doentias, prejudicando e lesando gravemente o futebol? Muitas.

Quantas vezes reflectimos sobre a falta de profissionalismo, ética, deontologia, rigor, equilíbrio na informação, muitas vezes entregue a comentadores e analistas que são apresentados como independentes e não passam de gente alinhada e que segue uma cartilha? Muitas.
Um exemplo:
Nuno Farinha, até há pouco sub-director da lixeira desportiva da Cofina, a propósito de um e-mail que circula por aí sobre pagamentos do Benfica a jornalistas, disse no twitter e cito de cor, qual é o problema de um jornalista receber dinheiro de um clube? Acho que nem é preciso dizer muito mais, apenas, não me admira que o tenha dito, era sobejamente conhecido como um servidor do SLB no Rascord, como não me admira que tenha durado tanto tempo no jornal. Gente desta e com estas práticas, tem raízes profundas naquela lixeira. Mas é um bom exemplo do que não deve ser o jornalismo. São muitos como este, gente com comportamentos altamente censuráveis, que não ouve, vê ou lê quando se trata de um e não deixa escapar nada, extrapola até à náusea quando se trata dos outros, que contribui para uma realidade que agora todos condenam.

Quantas vezes aqui falamos sobre as provocações, ameaças, insultos, faltas de respeito para com o F.C.Porto e quem o dirige e serve profissionalmente, bem como contra os portistas e que são prática na BTV? Muitas.

Quantas vezes nos revoltamos contra comportamentos de uma claque fora-da-lei que espalha o terror por onde passa, sem que algumas vez o seu comportamento tenha merecido por parte de quem de direito,  organismos desportivos, mas não só, a atitude e o tratamento que devia? Muitas.

Quantas vezes aqui chamamos a atenção para a postura populista, demagógica, desrespeitosa de Bruno de Carvalho? Muitas.
Outro exemplo:
Ontem, o freteiro Delgado, um autêntico rato de esgoto, numa espécie de mea-culpa, dizia que se em retrospectiva, há algo a criticar à comunicação social no caso de Bruno de Carvalho, foi o escasso escrutínio a que foi sujeito quando apareceu na cena pública.
É preciso ser muito cara de pau, é preciso ter uma grande lata, uma falta de pudor e vergonha na cara sem limites, para dizer uma coisa destas.
Se há algo que se viu desde o início do mandato de Bruno de Carvalho, é que ele sempre foi aquilo que se vê, mas que só agora alguns parece que perceberam e as razões são simples: enquanto o presidente do Sporting se entreteve a mandar umas bocas foleiras, a dizer a maiores barbaridades, a mentir, como se veio posteriormente a concluir, no caso do problema com Adelino Caldeira no Algarve, aí o chiqueiro da queimada, não só não o criticava, como alimentava o seu ego, dava-lhe corda e todo o destaque. Agora, ai que temos escrutinar melhor estes fenómenos.
Pois, até parece que também Bruno de Carvalho foi uma originalidade, não tinha havido um João Vale e Azevedo e... Luís Filipe Vieira! Sim, o actual presidente do Benfica também é um demagogo, um populista, um arruaceiro, um carroceiro sem respeito e sem educação, alguém que invade estúdios de televisão, insulta tudo e todos, tem tiradas de péssimo gosto, como, por exemplo, aquela do estrebuchar do morto.
E para se perceber, Vale e Azevedo, mal chegou ao futebol o que fez? Exactamente o mesmo que fez Bruno de Carvalho: virou a artilharia para Norte. E que o fez também Vieira, mal saiu do Alverca e chegou à Luz, ele que até tinha excelentes relações de amizade com Jorge Nuno Pinto da Costa?

- Meus senhores, não pode ficar a sensação e ela para mim, existe, que se fosse com o Benfica todos estes tristes e lamentáveis acontecimentos, nunca teriam tido estas repercussões.
O futebol português tem de mudar, todos queremos que mude. Mas só mudará quando se atacar a fundo e sem medo, o tumor chamado Benfica. Sim, por mais condenável que seja o que se passou em Alcochete e em Alvalade e os comportamentos do líder leonino mereçam censura.

Nota final:
Quando disse muitas vezes, é mesmo muitas vezes, mas para não estar a maçar com vários exemplos, deixei apenas um... se for preciso mais... é só dizerem.

PS - Como hoje é dia do abraço, sintam-se abraçados.

Sem surpresa, Pedro Guerra venceu o Prémio Kompensan/Rennie, 7ª edição, época 2017/18


Pedro Guerra era o grande favorito, venceu naturalmente o Prémio Kompensan/Rennie, 7ª edição, época 2017/18. Com 38% dos votos, o tudo do Benfica, desde merceeiro até cartilheiro, não deu qualquer hipóteses à concorrência, deixando o 2º a grande distância.
Sobre Pedro Guerra muito haveria para dizer, mas não vale a pena, toda gente o conhece, sabe as capacidades desta criatura que o SLB, sabe-se lá porquê, mima com todo o carinho. Por isso apenas refiro a sua última tirada e que é mais uma digna de um verdadeiro compêndio. Pedro Guerra com o ar mais cândido do mundo, na BTV, afirmou que não acredita em nada do que se diz por aí sobre os escândalos que envolvem e abalam o Benfica, porque Luís Filipe Vieira, é... seríssimo, incapaz de fazer qualquer coisa que não esteja dentro da lei.Brilhante!
- Parabéns Pedro. Brevemente serás contactado para receber o prémio.

Em 2º lugar, com 21%, temos Rui Pedro Braz, O Brazado e acho que também ninguém ficou admirado. Cartilheiro sem pudor e sem vergonha na cara, figura sinistra da análise e do comentário sobre futebol, O Brazado beneficia da falta de ética, rigor e isenção de uma TVI 24 onde vale tudo para ter audiências. Braz, em defesa do seu clube, o SLB é capaz de dizer agora uma coisa e passado pouco tempo dizer o seu contrário, O Brazado, por exemplo, recusou-se a esmiuçar o caso dos e-mails, afirmando que era correspondência privada, mas cavalgou sem dó nem piedade a operação Cash-ball.
Se se pensa em tornar mais saudável e arejar o ambiente do futebol, deve-se também evitar que tipos desta estirpe continuem a botar faladura.

Em 3º lugar, com 17%, ficou Bagão papa-hóstias Félix. E apesar de nos últimos tempos o papa-hóstias ter perdido completamente a noção das suas responsabilidades e se ter vindo a revelar um aziado de 1ª categoria, com artigos de péssimo gosto e faltas de respeito constantes para com o F.C.Porto e quem o representa profissionalmente, não posso deixar de dizer que o lugar mais baixo do pódio não deixa de ser algo surpreendente, mas muito meritório. Atrevo-me até a dizer que Bagão é um forte candidato ao prémio no futuro que todos desejamos, próximo.


"Contra tudo e contra todos", por Felisberto Costa


Terminada a época futebolística para nós, com o titulo merecido de campeão nacional no bolso, o FC PORTO prepara já a próxima, algo que se exige a uma colectividade profissional, responsável e altamente competitiva. Porque este título não esconde os e-mails, a supremacia do poder político, financeiro e comunicacional - o Porto esvai-se nos media e Lisboa inflaciona-se em jornais, rádios e têvês!
Dentro do que foi a época finda, onde o FC PORTO foi, quiçá, a equipa mais prejudicada pelo VAR, pelos árbitros comprados a vouchers, ou jogadores a 12.000 euros, contra uma comunicação social centralista que tudo fez para que houvesse penta, nós portistas, comandados por Sérgio Conceição, unimo-nos numa roda enérgica de paixão, luta, suor e lágrimas contra tudo e contra todos. E dela saímos mais fortes que nunca. Dela saímos mais vitoriosos que até então. E mesmo apanhando duas borrascas em Paços e Belém, soubemos sofrer e mostrar ao mundo que fomos os melhores e de longe!
Tenho um amigo de clube aos remendos numa rotunda da cidade, que me diz, que cada vez que somos campeões, repetimos a cassete do “contra tudo e contra todos”, como se ninguém gostasse de nós, e, se é esse o caso, é porque fazemos por isso!
Respondo-lhe bastas vezes que um ou dois pinheiros no meio de 40 ou 50 eucaliptos, não fazem um pinheiral! Ou seja, se repetimos até a exaustão a frase em questão, é porque realmente existe, existiu e infelizmente existirá sempre um peso e duas medidas entre os dois clubes da 2ª circular e nós. E até eles sofreram na pele a sua regionalidade, basta ver e ler a actualidade. Se fosse connosco o que se está a passar naquela variante lisboeta, já estaríamos condenados, linchados e enterrados vivos. Só não vê quem não consegue sentir na pele esta desigualdade.
Para a 2ª circular a justiça far-se-à para as calendas gregas, e até um dos mais chafurdentos lamaceiros já meteu o bedelho como se fosse… vitima!
E, porque o destino não se vai alterar amanhã, urge o FC PORTO reforçar-se a tempo e horas, com jogadores que queiram ser campeões, que queiram ser melhores que os rivais, que queiram deixar a pele em campo. Não precisamos de nomes sonantes. Apenas de gente que quer vencer. Estou certo que a SAD e a equipa técnica do FC PORTO é isso que estão a fazer. Confio neles como sempre confiei, mal grado 4 anos de jejum, uns insultos de paixão, umas bocas foleiras de desespero, mas um orgulho de convicção que mais tarde ou mais cedo a tempestade acalmaria e navegaríamos numa calmaria. Em suma, num tranquilo e majestoso mar azul!
O que se está a passar no Sporting, deve e tem de ser um alerta para nós portistas! Todos nós sabemos que Jorge Nuno Pinto da Costa está a chegar ao fim de um longo e vitorioso reinado. Como tal, nós portistas, sabemos o que vai acontecer nesse dia: irão aparecer os brunos azuis-e-brancos com as suas panaceias de promessas populistas que servirão para enganar os mais incautos, como estou certo que aparecerão candidatos com qualidade e honra em servir o FC PORTO com a dignidade que o cargo exige. O presidente-adepto, afinal, é populismo mal cheiroso e desastroso. A César o que é de César! A classe política não perde uma ocasião para mostrar aquilo que é: oportunista, eleitoralista, seguidista a até… cartilheira! E seja qual for o partido!
Nesta vergonhosa novela verde-e-branca, desde a guerra do poder à corrupção do andebol e futebol, os políticos foram lestos em fazer de um cenário local numa tragédia nacional! Desde o adiamento da final, como se os avenses tivessem culpa do sucedido. Desde a extinção das claques como se todas as outras claques fizessem o mesmo. Desde o mudar de local de jogo considerando que o Jamor não tem condições, mas quando é o FC PORTO a reclamar do estádio de Oeiras, aqui d’El Rei que os nortenhos não gostam de vir a Lisboa ao majestoso estádio fascista, quer dizer helénico!
Quando é com eles é vergonha nacional, se formos nós, é típico de um clube fechado no seu regionalismo! Esta agora! Quando os abutres mataram um inocente nesse mesmo estádio, quando os abutres atacaram um autocarro azul-e-branco incendiando-o e depois agredindo selvaticamente um jogador de hóquei, pondo-o em coma, quando os abutres atropelaram mortalmente um tiffosi italiano, quando um alto responsável de clube vem apelar ao homicídio do nosso presidente no seu próprio canal, não vi processos nem acusações de terrorismo e nenhum político saiu a terreiro indignado com a situação! Nenhum jornalista fez capa dias a fio dessas situações!
Nunca na minha vida vi até hoje alguém do FC PORTO participar em programas desportivos onde são os únicos convidados para falar dos clubes rivais, como acontece com as Bolas-Brancas como os seus Antunes, Figueiredos e Gaspar Ramos ou a TVI com Diamantinos e Danis! Acham que essa gente tem honestidade intelectual para falar de nós?
Quando lá fora chamam a Pinto da Costa, o “Rei Midas” do futebol europeu (jornal a Marca) e cá dentro o Midas é um gajo de orelhas à Herrera, ladrão de camiões e caloteiro por vocação!
Quando lá fora a equipa jovem do FC PORTO arrebata de rajada em 2 anos seguidos troféus internacionais, cá dentro até foi campeã da 2ª Liga, mas no foro interno a formação que está a dar é a do Seixal!
Quando lá fora o FC PORTO é visto com respeito e admiração e cá dentro com ódio e bem longe do poder político (não é ó palhaço Rui Rio?) cartilheiro e eleitoralista!
Ou então como um rato, renegado e arruaceiro tripeiro cujo sonho é presidente do mais melhor bom clube do Universo e arredores, afirmar que o SL e B não soube dar a estocada final num Sporting em crise (ou deram mesmo?), nem ter agravado o estado intervencionado do FC PORTO! Para este rato de esgoto, o mais maior bom é assim se os 2 rivais fossem à vida!
Terrorismo sofremos nós há longas décadas, e de estado! Por isso e desesperando mais uma vez esse meu amigo boavisteiro, nós no FC PORTO só temos um lema: CONTRA TUDO E CONTRA TODOS!
Viva o FC PORTO!

PS - Nada como acompanhar o post do Felisberto, cujo título, é: "Contra tudo e contra todos", com alguns dos últimos e-mails conhecidos, cada um mais interessante que o outro.
Que Podridão!
Volto a citar Sophia: vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar.

A entrevista de Sérgio ao Porto Canal; e, nós não somos Vieiras...


Na entrevista que deu ontem a Júlio Magalhães no Porto Canal e que foi muito interessante, porque para além do conteúdo, foi aberta e genuína, destaco algumas notas:
I - Em nenhum momento fiquei com a mais leve sensação que o treinador que voltou a dar ao F.C.Porto o título de campeão, não está de corpo e alma com o clube e pronto para cumprir o contrato.
II - A certeza que as festas já terminaram, já se está a trabalhar em força na nova época, a exigência vai continuar, queremos muito o bi-campeonato.
III - A recuperação daquilo que é a essência do que é Ser Porto: juntar à competência, qualidade e profissionalismo, RAÇA, ALMA, MÍSTICA, podemos não ganhar, mas temos de deixar sempre tudo em campo para conseguir ganhar.
IV - Capacidade para tirar proveito das constantes campanhas que fazem contra nós.

O Benfica faz comunicados a pensar que com conversa e bolos se enganam tolos. O clube do regime está atolado até ao pescoço na porcaria, tanto, que parece um náufrago desesperado, que para se manter com a cabeça de fora se agarra a qualquer coisa. Já não é a  primeira vez que o SLB faz este número, mas só convence alguns totós com pouco cérebro e comedores de gelados com a testa. O SLB pensa que todos somos Vieiras... mas não somos!
É óbvio que esta crise leonina - que é gravíssima, mas é conjuntural e resolve-se rapidamente: basta que Bruno de Carvalho tenha um momento de lucidez e perceba que ou deixa o Sporting ou vai ser o coveiro do Sporting - caiu que nem ginjas para os lados da Luz. Mas não podemos perder o foco, deixar que com a ajuda alguns prostitutos da escrita e da palavra - esses mesmos que fizeram um grande silêncio, de conta que não se passava nada quando se tratou dos e-mails e afins, mas agora mudaram totalmente de comportamento - o SLB tente desviar as atenções de outro grande escândalo e que envolve o SLB.

Não, esse é um escândalo de proporções gigantescas e com raízes profundas, como ainda há poucos dias se viu com mais dois funcionários judiciais constituídos arguidos. E meus amigos e senhores políticos, a justiça é um pilar fundamental em qualquer regime democrático. Tratar, como aconteceu no passado recente, a Operação E-Toupeira com ligeireza, apenas uma, como muitas outras, corriqueira violação do segredo de justiça e os factos dos últimos dias, como um, ai Meu Deus que qualquer dia a casa vem abaixo, fica-lhes muito mal.

A foto da direita, é exemplar e sintomática de como funcionam as coisas na comunicação social deste país. Enquanto Bruno de Carvalho teve o F.C.Porto e quem o dirige na mira, podia dizer as graçolas mais foleiras, ter os comportamentos mais lamentáveis, cortar relações com o F.C.Porto, apenas porque sim e como vemos, não só não era criticado, como exaltado e até tinha logo solidariedade dos mesmo de sempre. Não sabiam o que se tinha passado, mas tomaram logo as dores do presidente do Sporting, estamos contigo, Bruno!
Só que a verdade é como o azeite...

Assim, importa perguntar:
- Mudasti, Bruno?
- Não, não mudei. Apenas virei a agulha.
- Também acho, mas já sabes, neste país quem se mete com o Benfica... leva. Quem se atira ao F.C.Porto vira herói.

Notas finais:
Iker Casillas continua de Dragão ao peito. Se um dos guarda-redes mais titulados do mundo, aceitou continuar e diz que há coisas mais importante que o dinheiro, só posso ficar feliz. Iker, para além do factor desportivo, ainda continua a ser um guarda-redes de qualidade, é muito importante no balneário e para colocar o F.C.Porto e o Porto, sempre na agenda mediática. Se a continuidade de Iker, significar um sinal para alguém que esteja hesitante... óptimo!

O chiqueiro da queimada que se encolheu, praticamente ignorou e branqueou quase tudo acerca dos escândalos que envolvem o Benfica - nem um e-mail publicou - tem cavalgado a onda leonina como no passado cavalgou até à náusea a onda portista.
Colocar, como colocaram, hoje no site um vídeo do Aves-Sporting, com a legenda, é este o lance que pode comprometer Nélson Lenho - aqui - é uma baixaria que coloca o chiqueiro ao nível do jornalismo mais rasca, mais rasteiro e mais abjecto que se faz neste país.

Última hora 1:
Era preciso levar um jogador do Benfica ao mundial - caso contrário até parecia mal - leva-se o caceteiro do Rúben Dias, um tipo que bate em tudo que mexe, só não é expulso porque o polvo ainda estrebucha.
- Ó sr. Engenheiro Fernando Santos, que desilusão!

Última hora 2:
Esta é engraçada. Então o Paulo Silva que fez as denúncias sobre o Sporting, não é o mesmo João Paulo Rodrigues da Silva que esteve envolvido na transferência de um tal Mukthar, do Benfica para o Brondby?
Não me admira nada que nos próximos dias o gabinete de crise arranje qualquer coisa contra o F.C.Porto.

Alô, alô Sandra, Sexta às 9...

Compensado e aliviado


Durante décadas, apesar das retumbantes manifestações de competência, traduzidas, por exemplo, em SETE títulos internacionais - alguns que foram muito para além do sonho -, neste Portugal dos pequeninos, o F.C.Porto foi sempre tratado como uma espécie de império do mal num país de santinhos e anjinhos. Neste momento, sem fazer julgamentos na praça pública, nem condenações sumárias - ao contrário do que fizeram e continuam a fazer alguns, quando se tratou do F.C.Porto e de quem o dirige -, não posso deixar de me sentir aliviado e compensado por durante todos estes anos andar a dizer e a repetir, que não era bem assim, exigir que o F.C.Porto - dirigentes, técnicos, jogadores ou adeptos - fosse tratado com o respeito devido a uma instituição que tanto tem dado ao desporto português em geral, futebol em particular.

E de repente...


O meu comentário ao artigo de Bagão papa-hóstias Félix, no panfleto da queimada de hoje:
Olha a cabeça, olha a cabeça, olha a cabeça do lampião continua a inchar, continua a inchar...


Vão-se entretendo...

«Porque te amamos tanto, Porto!», por Miguel Sousa Tavares

Porque o nosso lema, é: Porto, ame-o ou deixe-o
Porque o Porto não se apregoa, pratica-se.
Porque quem ama o Porto nunca o abandona.
Porque nos orgulhamos da nossa terra, das nossas gentes e do nosso clube...

No dia em que o Museu do F.C.Porto, finalmente, recebeu o troféu de campeão nacional de futebol sénior - é caso para dizer, ufa, até que enfim! Já todas as modalidades tinham colocado lá uma taça, até a equipa B, só faltava a mais importante, até parecia coisa de Nhaga -, a Segunda Circular vive dias de ira.
De um lado, Vieira, está como o tolo em cima da ponte, hesita entre ficar com Vitória ou deixar cair o Sonso. Do outro, Bruno de Carvalho está mais uma vez a passar-se e para além de mais um espectáculo interdito a menores de 18 anos, até já dava como garantidos os milhões da Champions, quando para lá chegar é preciso passar uma pré-eliminatória e um play-off. Mas não admira, é a mesma linha de raciocínio do chiqueiro da queimada em relação ao Benfica - como se podem ver no destaque de capa no jornal de ontem e que pelo sim e pelo não, fica registado para memória futura.

Como nunca andei por aqui a pregar falsa moral, um futebol de anjos e pecadores, apenas quero que o F.C.Porto seja tratado da mesma forma como os outros, mereça os mesmos benefícios da dúvida, veja reconhecida a sua competência e o seu profissionalismo, perante aquilo que tenho visto, lido e ouvido, importa dizer o seguinte:
Posso não ter estado de acordo como o líder do F.C.Porto tem gerido o meu clube, por algumas razões que fui apontando: por exemplo, após quatro anos de insucessos, quatro treinadores que saíram sem cumprir o contrato, não ter sido capaz de ter descido do pedestal, falar para o portismo e explicar-se. Mais até do que assumir os erros, para apontar o caminho, mobilizar o portismo, dizer o que ia ser feito para que o F.C.Porto voltasse a ser aquilo que foi na esmagadora maioria do tempo, mais de três décadas e meia em que é liderado por Jorge Nuno Pinto da Costa - pode sempre dizer-se, não falou, mas agiu e somos campeões. Discordo, uma coisa não implica que a outra não tenha razão de ser. Mas quando vejo o que se passa nos rivais da Segunda Circular, a forma como Luís Filipe Vieira e Bruno de Carvalho se comportam, só posso agradecer ao presidente do F.C.Porto por nunca nos ter feito passar por nada de semelhante. E não me venham com os Apitos...
Mesmo estando a repetir-me, espero que este título, por tudo que representa, pela forma como foi conquistado, seja encarado por quem de direito como o início de um novo ciclo. Este título, um dos mais importantes da história do F.C.Porto, não pode significar apenas um fogacho. Que as lições que esta pequena, se comparada com o passado longínquo, travessia do deserto, tenham sido aprendidas, não se voltem a cometer os mesmos erros e o Ser Porto na prática e não na teoria, se consolide, tenha vindo para ficar.

Fernando Gomes, administrador financeiro da F.C.Porto- futebol SAD, no lançamento de mais um Empréstimo Obrigacionista:
"É o oitavo empréstimo obrigacionista, todos com grande sucesso, esperemos que este também tenha e é normal que o tenha. O FC Porto tem sido escrupuloso no cumprimento das suas obrigações financeiras, respeitou sempre as suas obrigações perante os investidores, a banca, nunca teve perdões de dívida, de juros, nem caminhos abertos e facilidades. Cumpriu sempre como bom pagador todas as suas obrigações para com a banca. Por isso estamos aqui de cara levantada.
O FC Porto tem tido um comportamento normal como cliente da banca, que será exigível a todos aqueles que são nossos competidores. Trata-se de concorrência desleal: uns cumprem porque esse é o seu princípio, é a regra, outros beneficiam de situações que tornam esta competição menos justa.»
Isto passou um pouco ao lado, mas não devia. Ficou claro que há concorrência desleal, há filhos e enteados, também nesta matéria os clubes da capital do império são beneficiados. E mesmo que nalguns casos se tratem de instituições privadas, é preciso salientar, que quando receberam apoios do estado, fomos todos nós que nos atravessamos.

Sobre o caso do Andebol que envolve o Sporting e que está sob investigação, facto já confirmado pelo Ministério Público, por agora só quero recordar, como podem ver aqui, o F.C.Porto logo reagiu contra o que foi esse escandaloso Benfica - F.C.Porto. E apesar de ter protestado e recorrido até às últimas instâncias, não lhe foi dada razão... mesmo quando as evidências daquela vergonhosa arbitragem eram mais que óbvias, havia todas as razões para que o jogo fosse repetido.

Sobre a última foto, o árbitro assistente Pedro Felisberto a beijar a mulher no final do Benfica - Moreirense, apenas tenho a dizer Que o amor é louco.


«No meio da nossa euforia, da nossa grande vitória, no meio dos gritos de campeões, vamos ignorá-los com o desprezo que merecem os vermes, que merecem aqueles que não prestam»


Nota de abertura:
Até apetece dizer, quem nunca tiver cometido exageros nos festejos de um título, momentos de grande alegria e exaltação, de extravasar de emoções, em que muitas vezes se perde a noção do que se deve e não deve dizer e fazer, que atire a primeira pedra. Portanto, é preciso contextualizar, compreender, não valorizar demasiado. Mas este Benfica é patético, sem noção do ridículo, gosta de se armar em anjinho e virgem ofendida. E com a cumplicidade dos mesmos de sempre, um jornalismo muito pouco recomendável e subserviente, sempre muito atento e com trinta olhos para o azul, completamente cego para o vermelho, já saiu a terreiro a fazer queixinhas contra um ou outro exagero cometido nos festejos do título do F.C.Porto. É o cúmulo da desfaçatez e da falta de pudor e vergonha na cara. Mas não surpreende ninguém. Este Benfica é assim, desmemoriado e rasteiro.
Como é que um clube que mal o F.C.Porto se sagrou campeão esta época, um campeão cujo o mérito só a cegueira e o mais primário anti-portismo é incapaz de reconhecer, veio falar em campeonato sujo, tem moral para atirar pedras aos outros, arvorar-se em moralista, fazer o papel de virgem ofendida?
Como é que um clube que teve jogadores a insultar o presidente do F.C.Porto, com uma linguagem ordinária, nas comemorações de um título, se atreve a pedir castigos para um ou outro excesso cometido nas festas do título portista?
Como é que um clube que não só nunca foi capaz de reconhecer o mérito do F.C.Porto campeão português, europeu e mundial, como falou em classificações aldrabadas, jogos viciados ou o título do F.C.Porto é um tributo dos árbitros, apagou a luz e ligou a água no momento em que o F.C.Porto festejava um título, pode falar em inveja e complexos de inferioridade? Inveja e complexos de inferioridade do Benfica, cuja grandeza é pífia e diariamente pisada por gente com um perfil que a justiça julgará, mas os portugueses já condenaram? Mas esta gente que está à frente do clube do regime não se enxerga?
Termino esta nota de abertura citando Jorge Nuno Pinto da Costa:
«No meio da nossa euforia, da nossa grande vitória, no meio dos gritos de campeões, vamos ignorá-los com o desprezo que merecem os vermes, que merecem aqueles que não prestam»

Costuma dizer-se que a justiça não se agradece. Mas saúde-se e felicite-se a Câmara Municipal do Porto, na pessoa do seu presidente, Rui Moreira, por, um, ter voltado a abrir as portas do Município ao F.C.Porto campeão. Fechar as portas da Câmara a uma das maiores e mais prestigiadas instituições da cidade, uma instituição que leva o nome da cidade a todos os cantos do mundo, foi uma acto mesquinho, rasteiro, um golpe baixo de alguém, apenas mais um que quis virar herói na capital do império às custas do F.C.Porto e do seu presidente.
Dois, ter condecorado o seu líder Jorge Nuno Pinto da Costa. Concordo, já devia ter acontecido há muito tempo. Mas mais vale tarde que nunca.
Foi uma festa grandiosa, uma enorme manifestação de grande fervor e de paixão pelo F.C.Porto. E quando olhamos e vemos tanta juventude entusiasmada e orgulhosa, temos de ficar tranquilos. O futuro de um clube com hábitos de ganhar, com mais ou menos dificuldades, está assegurado.

Duas notas finais:
Rui Vitória, eh, pá, ninguém do F.C.Porto precisa dos teus parabéns para nada... mesmo que passes a vida a dizer que és um exemplo. Mas arranjar desculpas que não dás os parabéns porque não és hipócrita e seria hipocrisia dar os parabéns a quem te tratou mal, desculpa lá, isso é puro cinismo. Tu só não dás os parabéns porque és um sonso sem personalidade e independência, incapaz de sair do alinhamento, um sonso com receio do benfiquismo fundamentalista e rasca. É apenas por isso. Se o alinhamento fosse noutro sentido até eras capaz de colocar um cachecol do F.C.Porto.

Tenho muita pena que o Paços de Ferreira, clube sério, cumpridor e que fez um grande esforço de modernização, tenha descido de divisão. Espero que tenham percebido a lição e que regressem rapidamente à 1ª Liga.

- Copyright © Dragão até à morte. F.C.Porto, o melhor clube português- Edited by andreset